Indo para o exílio

We’re turning 100 in 2022! Help us share the wisdom of Kabbalah for our next 100 years! DONATE NOW


Menu Principal

Eventos & Cursos


Menu Principal

Assinatura


Torne-se membro

Descubra mais sabedoria e práticas para elevar a si mesmo, a sua vida e as pessoas ao seu redor. De artigos e vídeos semanais a aulas e eventos com transmissão ao vivo e presencialmente, há um plano de assinatura para todos.

Veja planos de assinatura
Assinatura em Destaque:
Comunidade
  • Benefícios inclusos:
  • Todas as aulas transmitidas
  • Todas as aulas presenciais*
  • 10% desconto em nossas livrarias*
  • E muito mais...
  • Junte-se Hoje
  • *Nas localidades participantes. Haverá restrições aplicadas.
Menu Principal

Orientação


Vá ainda mais fundo na sabedoria da Kabbalah com orientação personalizada e leituras de mapas.
Encontro gratuito com um professor

Nossos instrutores dedicados estão aqui para ajudá-lo a navegar em sua jornada espiritual.

Solicite o Seu
Leitura de Mapa Astral Kabalístico

Aprender sobre nossa alma por meio de um mapa astrológico ajuda a dar mais significado e maior compreensão às experiências que enfrentamos, às pessoas que conhecemos, ao trabalho que fazemos e às bifurcações da estrada.

Agende uma leitura de mapa
Orientação Pessoal - Serviços do Kabbalah Centre

Sessões personalizadas individuais com um instrutor para aprofundar em uma área que lhe interessa ou oferecer suporte onde você mais precisa. As reuniões abrangem desde relacionamentos, tikkun e estudo profundo do Zohar, todas personalizados especialmente para você.

Reserve uma Sessão de Orientação

Indo para o exílio

Michael Berg
Julho 20, 2020
Curtir 5 Compartilhar Comentários 1

Muitos grandes kabalistas costumavam entrar no que chamam de galut ou exílio. Eles saíam de suas casas e viajavam de cidade em cidade, sem dinheiro, sem ter para onde ir nem como comer. Eles apenas tinham que esperar que as pessoas os convidassem para suas casas. Não tinham para onde ir nem como comer. Eles faziam isso porque sabiam que, para alcançar a grandeza, tinham que experimentar e internalizar a dor em nosso mundo.

A maioria de nós não está nesse nível, mas precisamos entender a necessidade e
a importância de trabalhar esse sentir a dor no mundo ao nosso redor. Nós não fazemos isso para simplesmente nos tornarmos espirituais, mas para atrair bênçãos e realizações para nossas vidas. Para nos conectarmos à Luz do Criador, temos que estar consistentemente visualizando e internalizando a dor que nos rodeia. No entanto, embora a maioria de nós não tenha a oportunidade ou a capacidade de entrar em galut e viajar pelo mundo vendo a dor, temos a capacidade de fazer mais do que estamos fazendo agora. E isso é algo que devemos fazer se quisermos nos conectar com a tremenda oportunidade que este mês, o mês de Av, ou Leão, nos oferece.

Os kabalistas ensinam que não há maior - ou mais difícil - oportunidade de revelar a Luz do que no mês de Av. Uma das razões para isso é em razão do forte paradoxo de negativo e positivo nesse signo. Um aspecto singular de Av é que sua primeira metade é considerada negativa, enquanto a segunda é considerada uma das mais positivas de todos os meses. De fato, este mês contém Tisha B’Av, o nono dia de Av, o dia mais negativo do ano, e Tu B’Av, o décimo quinto dia de Av, uma das conexões mais elevadas do ano. Só por isso já vemos a dicotomia neste mês. A primeira metade é muito negativa. A segunda metade é muito positiva. E este é um conceito e entendimento que estão presentes em todas as nossas vidas. Nós aprendemos com isso, essencialmente, que dentro da dor é onde encontraremos nossa satisfação; dentro do negativo é onde encontramos o positivo.

Portanto, embora possa ser mais difícil revelar a Luz em Av do que em qualquer outro mês, a oportunidade está aí. E a ferramenta mais importante e melhor que temos que desenvolver neste mês é a capacidade de sentir a dor - entrar em galut - especialmente quando não queremos. Temos que lembrar que fazemos isso não porque queremos ser espirituais, mas porque, se realmente queremos nos conectar à Luz do Criador, se realmente queremos trazer o sustento e a satisfação que são nossos, temos que desenvolver essa qualidade.

Se quisermos alcançar o objetivo,pessoal e globalmente, para o qual viemos a este mundo temos que fazer dessa ferramenta uma parte muito importante do nosso dia a dia. Sabemos que o primeiro passo do processo é sentir a dor, mas o segundo passo é fazer algo a respeito. E cada um de nós pode fazer muito mais sobre a dor que está neste mundo do que estamos fazendo atualmente.

O objetivo de desenvolver essa capacidade de sentir a dor ao nosso redor é fazer algo a respeito, e sempre há algo que podemos fazer.


Comentários 1